A mulher e a carreira

Não é nada fácil as escolhas de uma  mulher. Como obter sucesso profissional, ver os filhos bem encaminhados, cuidar da casa e ainda ter tempo para cuidar da aparência e se manter atraente? Qual o fio condutor para alcançar e manter o equilíbrio sem perder a essência que sempre lhe foi peculiar? O que fazer com a sensibilidade feminina? Conciliar esta nova realidade com o antigo modelo que persiste e que, segundo algumas pesquisas, são ainda o sonho e a preocupação da maioria delas, é o grande desafio.
 
 
mulheres são maioria no ensino superior
 

As primeiras da classe

 
A taxa de escolaridade sempre foi maior entre as mulheres, segundo o último levantamento feito, no ensino médio
a taxa feminina foi de 52,2%, para uma taxa masculina de 42,4%. Na universidade praticamente os índices se mantém com 57,1 % do total de mulheres. Os mesmo estudos apontam que em cursos de pós-graduação, mestrado, doutorado e outros, a participação das mulheres é maior. Hoje as mulheres são maioria no Brasil, somando 51,3% da população, impactando em diversos aspectos, inclusive na economia. O número de provedoras dos lares brasileiros, aumentou significativamente e nos dia de hoje, há mulheres que não somente ganham mais do que homens como também sustentam sozinhas, famílias inteiras.
 
 
desigualdade salarial entre homens e mulheres
 

A desigualdade no mundo corporativo

 
São poucas as mulheres que chegam ao topo da carreira. Mesmo que elas se destaquem no mundo acadêmico, o mesmo não acontece no mundo corporativo. Análise, divulgada pelo IBGE (*), mostra que quanto mais elevado o grau de escolaridade das mulheres, maior a diferença salarial na comparação com os homens. Em estudo recém-divulgado, o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID – mostra que, apesar do recente crescimento econômico e das políticas destinadas a reduzir as desigualdades, as diferenças salariais relacionadas a gênero e etnia continuam sendo significativas nos países latino-americanos. Mostra também que o Brasil apresenta um dos maiores níveis de disparidade salarial, os homens ganham aproximadamente 30% a mais que as mulheres de mesma idade e nível de instrução. A análise do IBGE (*), mostra também, que são poucas as mulheres que atingem cargos gerenciais (24%), e na hora da promoção a funções de maior poder e prestígio, são sempre preteridas em benefício dos homens.(*) Síntese de Indicadores Sociais – Uma análise das condições de vida dos brasileiros, divulgada em 29/11/2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
 
corrida pelo sucesso
 

Os 7  obstáculos ao crescimento profissional

 
Uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company, aponta que atualmente os maiores impedimentos para o desenvolvimento profissional das mulheres giram em torno de sete questões fundamentais, são elas:
 

1. Dificuldade de equilibrar trabalho com vida familiar

 
equilibrio entre profissao e vida privadaO maior fator de impedimento para mulheres, que buscam crescer profissionalmente e ocupar postos mais altos nas hierarquias empresariais, está relacionado à dupla jornada que exercem. Ainda pesa sob responsabilidade feminina o compromisso pelo cuidado familiar, especialmente dos filhos e de assuntos domésticos, dessa forma elas se veem obrigadas a optar e acabam escolhendo a família, adiando assim seu sonho profissional. Mesmo que no Brasil existam opções para driblar alguns destes problemas, como babás, empregadas, escolas entre outros, o peso da decisão é muito grande.
 
 

2. Falta de políticas públicas

 
falta de apoio as mães profissionaisA falta de políticas públicas adequadas, que deem suporte à mulher, bem como a família, ainda é uma grande barreira feminina, dificultando assim a autonomia delas. É necessário que seja repensado as diretrizes de ações do poder público para que exista maior igualdade de oportunidades, impactando assim diretamente em vários aspectos da vida cotidiana, inclusive na questão econômica das brasileiras. Creches e escolas de bom padrão, com horários compatíveis a jornada de trabalho seria uma das possibilidades.
 
 

3. Ausência de exemplos femininos a serem seguidos

 
somente homens na liderançaA ascensão profissional feminina, ainda é um tema relativamente novo nas empresas, atualmente a grande maioria do alto escalão da hierarquia organizacional é constituída por homens. Para chegarem ao topo de suas carreiras, as mulheres também encontram dificuldades neste sentido, justamente por não terem modelos a serem seguidos. Não tendo em quem se espelhar, encontram entraves e barreiras que precisam aprender a quebrar sozinhas, sendo desta forma muito mais difícil e trabalhosa, pois normalmente acabam agindo de acordo com o que acreditam ser o correto ou ainda se espelhando em modelos masculinos, perdendo-se assim a essência feminina de liderança.
 
 

4. Dificuldade em promover outras mulheres

 
mulheres não promovem outras mulheresPela falta de exemplos femininos e também por insegurança, mulheres tendem a promover mais homens do que outras mulheres. Isto acontece por dois motivos: 1. A mulher quando assume um cargo elevado na hierarquia de uma empresa, acaba adotando padrões masculinos de liderança, desta forma, quando ocorre a oportunidade de promoção, acaba buscando pessoas que tenham o mesmo perfil profissional que o seu, optando assim por pessoas do sexo masculino. 2. Outro fator é a insegurança que muitas delas têm de perder o prestígio que conquistaram, pois acreditam que se promoverem outra mulher, poderão se sentir ameaçadas em uma posição que custaram tanto a conquistar, desta forma, preferem não arriscar, prevalecendo então como a única “alfa” da ala feminina dentro da empresa.
 
 

5. Networking menos eficiente

 
mulheres não sabem se aproveitar do networkAinda é um dilema quando o assunto é networking. Isto porque de certa forma, as mulheres se sentem desconfortáveis em determinadas situações. Convidar um homem para tomar um café pensando em propor-lhe um negócio ou apenas para trocar informações profissionais, pode ser motivo de angústia para elas, imaginando “o que os outros ou até mesmo a pessoa convidada poderia pensar”. O pior é que eles pensam mesmo que pode ter um interesse diferente envolvido. Mulheres são ótimas em criar laços, mas quando se trata de fortalecer laços profissionais, ainda pecam um pouco, pois acabam colocando outras prioridades à frente de suas próprias carreiras, pagando um alto preço por isso no aspecto profissional.
 
 

6. Menos ambição profissional

 
mulheres tem menos ambição?Ao se verem divididas entre vida profissional e vida pessoal, as mulheres acabam recuando, preferindo estabilidade à ascensão. Preferindo a segurança de um emprego que lhe traga uma permanência profissional tranquila, a ter que enfrentar novos desafios. Não que elas realmente sejam menos ambiciosas, ao contrário, muitas tem uma grande vontade em ascender em suas carreiras, mas devido a diversas dificuldades, muitas delas citadas acima, acabam optando por recuar ou ao menos estagnar, pois acreditam estar assim, garantindo a preservação do equilíbrio profissional e pessoal.
 
 

7. Cobrança interna pela perfeição

 
mulher maravilha no trabalhoMas como as flores também têm seus espinhos, é comum serem observados os comportamentos feministas, que geram a tentativa de trabalhar de um jeito masculinizado, a fim de provar a igualdade com os homens. Outro comportamento que mina a competência das mulheres, é a realização das atividades com excesso de perfeição e busca constante de equilibro, decorrente do excesso de responsabilidades assumidas. A mulher sente o peso do mundo em suas costas, sempre cheia de afazeres e de obrigações, cobrando de si mesma a perfeição em tudo que faz. Trabalha com afinco para evoluir na sua carreira e abraça muitas funções. Mas ao mesmo tempo se sente demasiadamente responsável pelo bem estar de sua família – a casa tem que estar em ordem, os filhos bem cuidados e o marido satisfeito. Culpa-se porque não consegue fazer tudo da forma como planeja. Isso gera um stress acentuado, justamente porque, ao querer fazer tudo ao mesmo tempo não consegue atingir os patamares almejados.
 
 

 

  • Leia como driblar a TPM no trabalho.
  • Cuide de sua saúde, não persiga o que não existe. Perfeccionismo não faz bem a ninguém.
  • Crie um modelo próprio para conciliar profissão e família, não ache que você tem que se encaixar no que já existe.
  • Profissão e família são compatíveis sim. Você não precisa dar conta de tudo sozinha.
  • Comentários

    Seja Exclusiva
    Receba nossas publicações em primeira mão, cadastre seu email no campo abaixo:

    FECHAR
    Web Design MymensinghPremium WordPress ThemesWeb Development

    E as férias estão chegando…

    festas-de-fim-de-anoNovembro passa tão rápido que quando dermos conta, já será Natal! Pensando em facilitar a vida neste período intenso e corrido, nós aqui na casa da Ana, publicaremos desde dicas para deixar a casa pronta para a grande ceia de Natal e Revellon até como ter as férias sonhadas. Estamos a praticamente 60 dias de 2016!!! Comecem a contagem regressiva...

    Melhor tomar um refresco…

    sombra-e-agua-frescaBem vinda Primavera!!! Mas fala sério, que calor foi esse? Uma amostra do verão em pleno início de primavera. Mas vale para nos prepararmos para o verão. Vem aqui, entre e veja as nossas dicas para o verão e também para a viagem tão esperada e sem gastar muito! verao-sol-e-mar

    Bem vindo na casa da Ana

    na-casa-da-ana-logoQue bom que você veio! Quando nos mudamos para uma casa nova, aos poucos, vamos dando a nossa cara aos ambientes e deixando a casa mais aconchegante e com o nosso jeito... Aqui não é diferente! Na casa da Ana completou 3 meses e já estamos com uma sala de visita nova. Estreamos o cantinho direito com a nova seção "Café com a Ana", assim poderei me sentir mais próxima de vocês e também receber algumas visitas. Adorei a sua companhia, venha sempre!!! Bjs Ana